quinta-feira, 4 de julho de 2013

Estrada de Ferro Carajás é interditada por indígenas


Um grupo de indígenas de diversas etnias do Maranhão interditaram a Estrada de Ferro Carajás (EFC), no município de Alto Alegre do Pindaré (MA). Eles ficaram sobre os trilhos da ferrovia, na altura do Km 289, conforme nota enviada pela Vale.

O trecho da ferrovia bloqueado passa pela aldeia Maçaranduba, Terra Indígena Caru, dos Awá-Guajá e Tenetehara (Guajajara). A ocupação se manterá por tempo indeterminado. Segundo lideranças do movimento, a ferrovia foi bloqueada porque os povos ocupam há dez dias a sede do Distritos Sanitários Especiais Indígenas do Maranhão, mas até agora não tiveram suas reivindicações atendidas. Eles reivindicam do poder público, entre outras medidas, melhorias nas condições de saúde e educação.

Segundo a Vale, em razão da interdição da ferrovia, os usuários do trem de passageiros que embarcaram nesta manhã na estação em São Luís (MA), com destino a Parauapebas (PA), embarcarão em ônibus fretado pela Vale na estação de Santa Inês (MA), e seguirão até seu destino final pela rodovia.

A Vale afirmou que respeita o direito de manifestação dos Povos Indígenas e busca estabelecer um relacionamento positivo, construtivo e de confiança mútua com essas comunidades. Contudo, vai adotar medidas judiciais cabíveis para desocupação da EFC, pois alega que qualquer ato público ou manifestação deve respeitar o Estado Democrático de Direito e o direito constitucional de ir e vir das pessoas que utilizam o transporte público ferroviário.